Secretário Lima Júnior diz que efetivo da PM é suficiente para eleições seguras

Magistrados e representantes das forças policiais de Alagoas se reuniram, na tarde desta segunda-feira (5), na sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AL), para discutir sobre a segurança e o envio de tropas federais para as cidades do estado durante o período das eleições. Sete municípios solicitaram reforço das forças armadas, mas para o secretário de Estado da Segurança Pública, coronel Lima Junior, não se faz necessário o envio das tropas em virtude de o efetivo de policiais militares ser suficiente para garantir eleições tranquilas.

Lima Junior ressalta que, além dos homens que já estão nas ruas diariamente, a corporação conta também com o apoio da reserva técnica.

“A reserva deverá trabalhar nas eleições. Nesse período, a polícia atua de forma diferenciada, pois há um risco minimizado, em virtude de estarmos focados na manutenção da ordem pública. Além de nosso efetivo, mais 750 policiais da reserva vão atuar no período eleitoral. Assim, nós iremos garantir a segurança do pleito e não é necessário o envio das tropas federais”, completou.

Para o juiz Sandro Augusto, da 8ª Zona Eleitoral, no entanto, o reforço de tropas federais se faz necessário, por exemplo, no município do Pilar. Ele solicitou ao TRE o envio de tropas para a cidade, considerando o alto índice de homicídios em relação ao número de habitantes. “Hoje, Pilar é uma das cidades mais violentas do Brasil. Nós sabemos que o efetivo policial para épocas normais é insuficiente, e neste momento mais ainda. Tivemos duas caminhadas no Pilar. Nas duas, houve disparos de arma de fogo”, falou.

O presidente do TRE, Sebastião Costa Filho, informou que a solicitação será atendida a depender das possibilidades, pois os recursos financeiros estão escassos. “Temos uma carência financeira e não há verba para atender todos os pedidos. Desta maneira, vamos fazer uma triagem para ver os município que tenham maior necessidade de pessoal. Já solicitamos que o governador avalie e diga se há condições de assumir a responsabilidade da segurança nas eleições. Se não houver, mandamos o pedido para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que irá solicitar o envio das tropas”, ressaltou.

Participaram da reunião desta segunda-feira o presidente do TRE-AL, Sebastião Costa Filho; o secretário de Segurança Pública, Lima Junior; o delegado-geral de Polícia Civil, Paulo Cerqueira; a secretária-adjunta de Segurança Luci Mônica; o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Adriano; o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Marcos Sampaio; o procurador-regional eleitoral Marcial Coelho, o desembargador José Carlos Malta e o desembargador Fábio Cavalcante.

Fonte: Gazetaweb

COMPARTILHE
Fechar Menu